Voltar

Notícias e Eventos

Últimas entradas sobre a nossa atividade

05 maio 2021

Obstrução e corrimento nasal – Rinite ou Sinusite?

A obstrução e o corrimento nasal são dois sintomas extremamente frequentes e comuns a várias patologias. No entanto, quando surgem em conjunto, e enquadrando na história clínica do doente, rapidamente fazem o médico pensar em duas das patologias nasais mais habituais: rinite e (rino)sinusite (termo mais correto).

Todos os dias chegam à consulta de Otorrinolaringologia doentes que afirmam ter sinusite, no entanto, a maioria deles tem, na verdade, rinite, uma vez que a sinusite, apesar de ter uma clínica altamente sugestiva, só é possível confirmar através de um TC do nariz.

Mas afinal, na prática, qual a diferença entre elas?
Encontra-se sobretudo no tratamento. Por definição, a rinite é a inflamação da mucosa intranasal e a sinusite a inflamação do nariz e dos seios perinasais (cavidades aéreas localizadas ao lado das fossas nasais e revestidos por uma mucosa idêntica à do restante aparelho respiratório).

Os sintomas da rinite são, essencialmente, corrimento nasal, na maioria das vezes aquoso, obstrução nasal, prurido (comichão) e espirros. Estes sintomas também ocorrem na sinusite, onde, habitualmente, se somam à diminuição ou perda de olfato e às cefaleias (dor de cabeça) e/ou sensação de pressão facial.

Outros sintomas, como sensação de ouvido tapado e catarro/escorrência na garganta também podem surgir. Tanto a rinite como a sinusite podem ser consequência de uma infeção vírica ou bacteriana, mas são as alergias as protagonistas da rinite.

As duas podem apresentar-se como uma patologia aguda ou crónica, dependendo da duração dos sintomas (maior ou menor do que 12 semanas). Independentemente da situação clínica, se os sintomas persistem e/ou agravam após 5 a 7 dias, deve ser consultado um médico Otorrinolaringologista.

O diagnóstico da rinite é fundamentalmente clínico, com base na história clínica e no exame físico realizado ao doente na consulta. O diagnóstico da sinusite, sobretudo crónica, pode ser altamente suspeito, mas só se confirma com um TC.

Diferem bastante no seu tratamento. Enquanto o tratamento da rinite é, na maioria das vezes, médico, reservando-se a cirurgia para casos refratários à terapêutica, os doentes com sinusite aguda recorrente (episódios de sinusite aguda 4 ou mais vezes por ano) e sinusite crónica devem ser encaminhados para cirurgia.

A turbinectomia - pequena cirurgia realizada aos cornetos nasais pelo orifício natural do nariz com o objetivo de reduzir o tamanho dos mesmos - pode ser a solução para a rinite. No caso da sinusite, a cirurgia é mais complexa, embora também sem cicatrizes externas. Consiste em retirar o material infetado, limpando assim os seios perinasais e, ao mesmo tempo, abrir as passagens previamente bloqueadas entre nariz e seios perinasais, o que, não só ajuda ao correto funcionamento do nariz mas também a manter o tecido saudável posteriormente. Permite, desta forma, o alívio sintomático e uma melhor penetração da medicação tópica nasal.

Dr.ª Sara Martins Pereira (OM51044), Médica especialista em Otorrinolaringologia no Trofa Saúde Braga Centro e Braga Sul

Voltar

24 maio 2021

Luto: quando precisamos de ajuda

22 maio 2021

Doença celíaca: o que devo saber?

09 maio 2021

A enxaqueca não tem que ser um pesadelo